Mais clientes para sua contabilidade

 

“Esta coluna é destina para quem deseja ficar por dentro das tendencias e novas idéias de negócio, comportamentos de mercado e muito mais”. 

Emerson Morais  

Cooperação ou Competição?

Postado por Emerson Mota Pereira de Morais em quinta, outubro 30, 2014


A pergunta mais freqüente que me fazem é: negociar é cooperar ou competir? Parece que a resposta é simples, mas na realidade existem vários fatores que devem ser considerados antes de tomarmos uma decisão. Surpreso? Leia o artigo e descubra como não cair no conto da parceria.
Por Marcio Miranda

Uma pergunta que as pessoas sempre me fazem é a seguinte: negociação é um processo de competição ou cooperação?

Em qualquer tipo de negociação, esta é a primeira decisão que precisamos tomar. Apesar da expressão "ganha-ganha" estar muito em moda hoje em dia, nem sempre a cooperação é a melhor opção para você. Sei que esta é uma posição politicamente incorreta, mas prefiro falar da realidade do mundo dos negócios do que escolher uma tese mais simpática, porém acadêmica. Vamos analisar dois fatores que vão nos ajudar a tomar esta decisão.



A primeira coisa a ser levada em consideração é se o relacionamento a longo prazo com aquela pessoa é importante. Imagine por exemplo, que você viu um anúncio de um carro usado no jornal e vai negociar o preço com o dono do veículo.

Qual a sua maior preocupação? Fazer um bom negócio para você, e ponto final. Neste tipo de transação ninguém leva em consideração a satisfação do oponente. Por que? Porque dificilmente você vai voltar a fazer negócio com aquela mesma pessoa, o dono do carro usado. Seu objetivo é conseguir o máximo naquela transação. E a mesma postura vale para do dono carro também.

Por um outro lado, se você realiza negócios freqüentes com uma mesma pessoa ou empresa, vale a pena sacrificar um pouco sua margem para deixar o outro lado satisfeito com o resultado.

Muitas vezes o relacionamento é mais importante do que o resultado daquela negociação. Desta maneira você não mata a galinha de ovos de ouro, que é uma prática muito comum entre alguns negociadores brasileiros mais gananciosos.

O outro fator que você vai observar é a postura de seu oponente. Se ele joga limpo, a tendência é que você também o faça e os dois partam para o ganha-ganha. Aliás é sempre bom lembrar que para haver cooperação os dois lados precisam jogar limpo e ter uma grande transparência.

Preste atenção nisso, já que muitas pessoas falam bastante de cooperação, porém na prática tentam tirar o máximo proveito da situação.

Minha sugestão é: tente sempre o ganha-ganha, porém sem ser inocente.


Tags: competitividade cooperação competição 

Arquivo do blog